PlayMaker Scouts Brasil

Está proibida a soberba: Flamengo, Grêmio e o clima para a decisão

Nos próximos dias estaremos entrando na semifinal mais esperada dos últimos anos entre brasileiros na Libertadores. Flamengo e Grêmio se enfrentam, primeiro na Arena e depois no Maracanã, mas o que está marcando esta semana não é a preparação e sim o ”chororô” acerca do adversário. A soberba está a solta e está sendo julgada como algo criminoso para alguns que certamente não entendem a essência de um grande clássico.

O torcedor rubro negro sempre foi um torcedor gozador. Brincalhão e emocionado por natureza, o flamenguista sempre foi especialista em criar bordões e a grande mídia sempre embarcou nessa onda. Contudo, os dias atuais não permitem mais que o time seja sarcástico, ou que o dirigente cutuque o outro lado e até mesmo que um torcedor possa zoar o outro antes da partida. Tudo isso que cerca a decisão englobam de forma bizarra no termo ”SOBERBA”.

Na semana que se passou o presidente tricolor disse que adorava ver a ”soberba” por parte da equipe carioca, não diferenciou o time da mídia carioca, apenas jogou no ar a frase. Prato cheio para os falsos moralistas de internet caírem de pau no dirigente. A onda de revolta e de torcedores desenterrando falas do próprio Bolzan Jr. e de outras figuras gremistas tomou a internet. Ainda nesta semana ele soltou :

”A nossa desclassificação na Copa do Brasil está engasgada. Mas sem sombra de dúvidas, será reconfortador passar do Flamengo e ser campeão da América” , disse Romildo.

O clima de zoação e provocações sempre foi presente no futebol nacional. O próprio Renato Gaúcho ostenta o título de falastrão, como outros grandes do nosso folclóre.

Certamente Jorge Jesus aprendeu rapidamente sobre isso. Afirmou duas rodadas atrás e com imensa razão que o Flamengo pratica hoje o melhor futebol do Brasil. Já Renato, o Gaúcho, preferiu puxar para ele e seu clube esse título. Contudo, o que fica evidente é que o torcedor que tanto reclama da ”nutelização” dos estádios e das zoeiras futebolísticas caem exatamente nessa pilha dos treinadores.

Renato assim como Jesus usam dessa artimanha exatamente para tirar o foco dos jogadores. Sendo assim, certamente os treinadores transferem os holofotes para si e os jogadores tem tempo e tranquilidade para se trabalhar.

O Flamengo tanto quanto o Grêmio são imensos, contudo medir ambos por soberba e antipatia é até impossível.

Soberba ou confiança em alta?

Humildade nunca foi o forte nem de flamenguistas e muito menos de tricolores. Contudo, sabemos bem que isso não interfere no caráter de cada indivíduo. Lembra-se bem de anos atrás no início da Era do Cheirinho, depois do Deixou Chegar e outras piadocas de torcedores desses times e de rivais. A questão maior é que isso eleva o moral do próprio torcedor de ambos os times que dão shows magníficos em seus estádios e lotam cada vez mais as Arenas. O Flamengo, se não tivesse a confiança atual na gestão, no trabalho e tudo que cerca Jorge Jesus não teria o alto poder que tem nas arquibancadas, algo que não era visto em anos anteriores.

O Grêmio por sua vez, com a marra e o carisma de Renato Gaúcho, sempre esteve presente nos debates, mesmo quando esteve em baixa no início da temporada quando quase ficou de fora da segunda fase da Copa Libertadores.

A soberba faz parte meu amigo e vai estar presente nos próximos confrontos, combustível essencial para a zoeira de mesa de bar e dos grupos de facebook, aproveitem e não encham a porra do saco.

 

Texto furioso de Juan Carlos Dias.

Confira nossa aba da NBA e NFL.

E nossos parceiros da TM.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PlayMaker Noticias Sports